• Gustavo Figueirêdo, psicólogo clínico

..., fevereiro, março,... de 20...


Sabemos, na maioria das vezes, que o relógio só para de funcionar quando a pilha acaba. Fora isto, trabalha ininterruptamente. Assim é a nossa mente: trabalha, trabalha, trabalha. Interrompendo os seus afazeres quando, popularmente, pira. Todo mês de janeiro é lançada a campanha de conscientização pela a valorização da saúde mental – Janeiro Branco.


Assim como o relógio, a nossa mente não para. Inclusive, segundo as pesquisas, o trabalho mental cansa três a quatro vezes mais que o braçal. No entanto, a campanha é lançada em janeiro, mas a nossa consciência pela a valorização perante a nossa saúde mental deverá ser de janeiro a janeiro.


Mediante a uma realidade onde estamos constantemente absorvendo conteúdos tóxicos: trânsito, violência das grandes cidades, desemprego, dentre outros. Como devemos viver a vida sem “pirarmos”?


No trânsito, por não fluir, estimulamos nossa ansiedade; pela insegurança, ativamos sintomas semelhantes quem sofre da síndrome do pânico; ao desemprego, despertamos a ociosidade não criativa. Com a convivência, diária e constante, destas mazelas, podemos desenvolver o que, Francisco Alonso-Fernández, psiquiatra espanhol, denominou de: depressão situacional.


Ou seja, dependendo como nos comportamos com as situações surgidas na vida, optamos em “pirar” ou não. Sim! Optamos. A minha, a tua e a nossa vida é como uma aeronave. Quem comanda somos nós. Mais ninguém. Nós que somos o piloto da nossa vida. Em raras exceções, assim como um avião, quando está ao cuidado do copiloto; assim somos nós humanos, por exemplo, quando ficamos internados aos cuidados da equipe médica; como em outras situações.


No entanto, cultivarmos a nossa mente é alimentarmos a nossa saúde mental. Quando não conseguimos fazer isso por conta própria, por que não buscarmos ajuda? Uma delas é através das psicoterapias. Assim como uma viagem aérea tem seu inicio e fim. Assim é o processo psicoterapêutico. O fim chegará quando o sujeito perceber e sentir que mediante a sua vida, o mesmo poderá assumir, novamente, o comando. Não que o acompanhamento psicoterapêutico seja administrado pelo profissional. Não! Apenas intervém, assim como o copiloto, quando necessário.


Por fim, caro leitor, eis a questão! Como está a sua pilha mental? Cronosentimentalmente normal? Ou anormal?



#bemestar #equilíbrio #felicidade #prazer #saúdemental

103 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Av. Flor de Santana, 357

Empresarial Flor de Santana

8º andar, Sala 804

Parnamirim Recife-PE

Cep: 52060-290

Tel: +5581 98701-3176

  • White Facebook Icon
  • White Instagram Icon
  • White Twitter Icon
  • White LinkedIn Icon

© 2017 por